Blog de amigos sportinguistas

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Espanha é campeã do Mundo

A selecção espanhola sagrou-se esta noite campeã do Mundo pela primeira vez na sua história. O momento do jogo só surgiu aos 116 minutos, com o golo de Andrés Iniesta a coroar uma grande exibição.

A Espanha juntou hoje em Joanesburgo, perante um Soccer City lotado com 84 490 pessoas, o título mundial ao Europeu conquistado em 2008 e assina uma página de ouro do seu futebol. O primeiro Mundial para La Roja e o primeiro de uma selecção europeia fora do Velho Continente.
Os noventa minutos de jogo não chegaram para encontrar um campeão do Mundo e foi preciso esperar pelo prolongamento. Esta noite, a selecção espanhola mostrou mais argumentos para chegar à vitória.
Os espanhóis entraram muito bem na final e Sergio Ramos e David Villa podiam ter inaugurado o marcador ainda antes do primeiro quarto de hora. Foi então que a ‘Roja’ perdeu alguma cor e a Holanda aproveitou para mostrar que não pensava em defender e esperar apenas pelo erro adversário.
Contudo, os holandeses não conseguiram criar grandes ocasiões no primeiro tempo. Aliás, a grande figura foi então Howard Webb, que se viu obrigado a puxar do cartão amarelo para segurar um jogo quezilento. De Jong podia mesmo ter visto o vermelho, face à entrada violenta sobre Xabi Alonso.
No regresso do intervalo, a Espanha voltou a entrar bem. Os campeões europeus deram nova prova da excelência do seu estilo ‘tiqui-taca’ e criaram problemas à defesa da equipa de Bert Van Marwijk.
A resposta holandesa veio por Robben aos 62’, quando o extremo falhou isolado perante Casillas. O guardião defendeu com a perna direita o remate do jogador holandês, que recebera uma assistência notável de Sneijder.
Todavia, com Xavi a coordenar as tropas da ‘armada espanhola’, os campeões europeus voltaram a dominar o jogo e Villa falhou incrivelmente o golo aos 69’ ao rematar contra um defesa na pequena área.
Estes falhanços geraram o sentimento de prolongamento no estádio. Acto contínuo, espanhóis e holandeses abrandaram o ritmo, já com o horizonte definido no tempo extra.
O prolongamento foi um reflexo do que sucedeu ao longo dos 90 minutos e Espanha voltou a mostrar mais ‘ganas’ de ser campeã. Nem o facto de terem mais experiência em finais, com as derrotas em 1974 e 1978, salvou os holandeses, que foram excessivamente pragmáticos e pouco ousados.
Depois de Fabregas e Navas desperdiçarem boas ocasiões, foi já contra 10 jogadores, após a expulsão de Heitinga, que Espanha chegou ao golo. Decorriam 116 minutos quando Iniesta recebeu um passe magistral de Fabregas e, em posição regular, atirou para o golo mais importante da história do futebol espanhol. Um golo que coroou uma grande exibição do pequeno grande jogador espanhol.
O golo ditou um fim precoce para a partida e os espanhóis puderam celebrar o seu primeiro Mundial. Adivinha-se uma noite de ‘fiesta’ em Espanha…

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial